Slider

A Gastrenterologia/Gastroenterologia é uma especialidade da Medicina que se focaliza na estrutura, função e doenças do aparelho digestivo.

O QUE É?

GASTRENTEROLOGIA/GASTROENTEROLOGIA

Especialidade médica que se dedica ao estudo do aparelho digestivo, que inclui o esófago, estômago, intestino delgado, cólon, recto, fígado, vesícula biliar, vias biliares e pâncreas.

O aparelho digestivo é composto por um longo tubo (que compreende o esófago, estômago, intestino delgado e intestino grosso ou cólon) e pelos órgãos anexos fígado, vesícula biliar e pâncreas.

Em conjunto, este sistema é responsável pela digestão e absorção dos alimentos que ingerimos, possibilitando que os nutrientes sejam transportados para as células do nosso corpo.

As queixas relacionadas com o tubo digestivo são muito frequentes e uma das principais razões pelas quais os doentes consomem medicação não prescrita por um médico e procuram assistência médica.

Os Gastrenterologistas são médicos com um treino exaustivo nas doenças do aparelho digestivo e que estão aptos a responder às suas questões, realizar os exames necessários para a obtenção de um diagnóstico e prescrever a medicação adequada.

MARQUE

A SUA CONSULTA

COM A GASTRENTEROLOGISTA

DR. VÍTOR MAGNO PEREIRA

PODE TRATAR DAS DOENÇAS GASTRENTEROLÓGICAS MAIS COMUNS

A úlcera péptica é uma ferida que ocorre na camada de revestimento interno, chamada mucosa, do esófago (úlcera esofágica), do estômago (úlcera gástrica) ou da primeira porção do intestino delgado (úlcera duodenal).

O refluxo gastroesofágico consiste na passagem de conteúdo do estômago para o esófago na ausência de vómito.

Este evento ocorre frequentemente em adultos saudáveis e não é sinónimo de doença. Contudo, quando o refluxo condiciona sintomas e/ou provoca lesão da parede esofágica estamos na presença de uma doença de refluxo gastroesofágico (DRGE).   

A DRGE é uma condição muito frequente, prevendo-se que 12 a 54% das pessoas residente em países ocidentais tenham sintomas de refluxo.

A hemorragia digestiva consiste na perda de sangue através de qualquer ponto do tubo digestivo (esófago, estômago, intestino delgado, intestino grosso ou canal anal).

A hemorragia digestiva não é uma doença e sim um sintoma de uma doença.

Embora na maioria dos casos a hemorragia digestiva se associe a patologias com pouca gravidade, este pode ser o sintoma de uma doença grave e potencialmente fatal.

A vesícula biliar é um pequeno órgão em forma de pêra que se localiza do lado direito do abdómen, imediatamente abaixo do fígado. Ela é responsável pelo armazenamento dos líquidos digestivos que são libertados no intestino delgado durante a digestão.

Os cálculos biliares, ou litíase biliar, (“pedras” na vesícula biliar) correspondem a depósitos de líquidos digestivos “endurecidos” que se formam na vesícula biliar.

Estes cálculos podem ser tão pequenos como grainhas de uvas ou atingir o tamanho de bolas de golfe. Podem ser únicos ou múltiplos. 

Esta é uma condição frequente. Na Europa cerca de 10% das pessoas têm litíase vesicular.

Os pólipos do cólon são agregados de células que se formam na camada de revestimento interno do intestino grosso

Os divertículos são pequenas bolsas que se formam na parede de qualquer segmento do tudo digestivo (figura 1), sendo a sua ocorrência mais frequente no intestino grosso (cólon).

A presença de múltiplos divertículos designa-se por diverticulose.

A Doença de Crohn é uma doença inflamatória crónica do intestino (tal como a colite ulcerosa). A inflamação pode afetar qualquer parte do tubo digestivo, sendo as zonas mais comummente envolvidas a porção terminal do intestino delgado e o intestino grosso.

Ao contrário da colite ulcerosa esta doença envolve toda a parede do órgão e não é apenas localizada á camada de revestimento interno.

A colite ulcerosa é uma doença inflamatória crónica do intestino (tal como a doença de Crohn), que afeta a camada que reveste internamente o intestino grosso ou cólon.

Esta camada, chamada mucosa, fica inflamada e apresenta pequenas feridas na superfície que podem sangrar. A mucosa inflamada produz ainda uma quantidade excessiva de lubrificante intestinal, que pode conter pus e sangue.

O colite ulcerosa pode afetar uma extensão variável de intestino grosso (desde apenas alguns centímetros do reto até à totalidade do cólon).

O Cancro do Cólon e Reto é uma doença frequente e que pode ser fatal. O diagnóstico precoce pode salvar a sua vida!

A história familiar de Cancro do Cólon e Reto é um dos principais factores de risco para o desenvolvimento desta neoplasia. Todos os indivíduos com um ou mais familiares de primeiro grau afectados por este tipo de cancro deverão efectuar um programa de rastreio adequado à sua história familiar.

ANTES DE REALIZAR QUALQUER TIPO DE TRATAMENTO

CONTACTE O NOSSO ESPECIALISTA