Image is not available
Image is not available
Image is not available

Cirurgia Bariátrica

Cirurgia Bariátrica

Cirurgia Bariátrica

Shadow
Slider

A Cirurgia Bariátrica é a especialidade médico-cirúrgica que tem como o objetivo reduzir o peso de pessoas com o IMC (Índice de Massa Corpórea) muito elevado. É também conhecida como GASTROPLASTIACIRURGIA DA OBESIDADE ou ainda de CIRURGIA DE REDUÇÃO DO ESTÔMAGO.

GASTROPLASTIA

GASTRO = estômago

PLASTIA = plástica

SABIA QUE...

A OBESIDADE É O 6º FACTOR RISCO DE MORTALIDADE?

A obesidade resulta de um excesso de massa gorda que, para além de uma pior qualidade de vida, os obesos têm uma esperança de vida mais curta devido às comorbilidades das múltiplas doenças que acompanham a obesidade:

  • Ansiedade e/ou depressão;
  • Diabetes, gota e aumento dos níveis de colesterol e/ou de triglicéridos no sangue;
  • Arteriosclerose, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares incluindo o enfarte do miocárdio e os acidentes vasculares cerebrais;
  • Varizes dos membros inferiores;
  • Roncopatia (ressonar); apneia obstrutiva do sono; incapacidade para o esforço;
  • Doença de refluxo gastroesofágico, litíase vesicular (cálculos na vesícula biliar), doenças do fígado;
  • Incontinência urinária de esforço;
  • Infertilidade;
  • Artrite degenerativa – com dor nas articulações e limitação de movimentos.
  • Além destas comorbilidades, os obesos têm maior risco de desenvolver algumas doenças oncológicas:
    • Nas mulheres: cancros da mama, do ovário, do útero e da vesícula biliar
    • Nos homens: cancro da próstata
    • Em ambos os sexos: cancro do cólon e do recto

De uma forma simplificada, é quantificada pelo IMC que se calcula dividindo o peso (em quilogramas) pelo quadrado da altura (em metro).

Exemplificando: uma pessoa com 75 Kg de peso e 1,72 m de altura.

IMC = 75 / (1,72)2

Neste caso, o IMC é de 25,35 Kg/m2 que, segundo a tabela seguinte, corresponde a uma pessoa com “Excesso de Peso Simples”.

Peso a menos ou subnutrição

 

Peso normal

Excesso de peso simples

Obesidade ligeira ou grau I

Obesidade moderada ou grau II

Obesidade grave ou grau III

Super-obesidade ou grau IV

O termo excesso de peso aplica-se a todos os que têm um IMC de 25,0 Kg/m2 ou mais, o de obesidade aos que têm IMC igual ou superior a 30,0 Kg/m2 e o de obesidade mórbida aos doentes com IMC igual ou acima de 40,0 Kg/m2.

Tipicamente existem dois tipos de obesidade, a obesidade ginecoide, em que a gordura se acumula sobretudo nas nádegas e coxas e a androide, mais grave, em que a gordura se acumula sobretudo no abdómen.

Estas considerações são importantes porque determinam a indicação para cirurgia.

NA MAISCLINIC

O PRINCIPAL OBJECTIVO DA CIRURGIA BARIÁTRICA É A PERDA DE PESO

Pretende-se melhorar a qualidade de vida, assim como as funções orgânica e metabólica do doente operado. Múltiplos estudos demonstram que a cirurgia permite melhorar, ou mesmo curar, muitas das comorbilidades ligadas à obesidade; é disso exemplo a diabetes que, muitas vezes, melhora ou desaparece mesmo antes do doente perder peso de forma significativa; de facto, 86% dos doentes com diabetes tipo II melhoram e 77% curam; obtêm-se taxas semelhantes de cura na apneia obstrutiva do sono (84%); já a hipertensão é curada em 62% e melhora em 79% dos doentes operados.

Estes resultados refletem-se numa redução da mortalidade, ou seja, em prolongamento da vida.

COM O CIRURGIÃO

DR. CELSO ALMEIDA

PODE PERDER PESO ATRAVÉS DE 3 TIPOS DE PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS

BANDAGEM GÁSTRICA

A limitação do consumo é obtida apenas pela restrição das dimensões do estômago como único mecanismo de ação, deixando a capacidades de absorção do intestino delgado intactas; o percurso que os alimentos percorrem não sofre qualquer alteração. A gastrobandoplastia, mais conhecida como “banda gástrica” é assim que atua.

GASTRECTOMIA VERTICAL

Esta técnica consiste numa ressecção parcial do estômago que fica transformado num tubo de pequena capacidade. A parte do estômago que é excisada é responsável pela produção de Grelina, uma hormona indutora do apetite; assim, a atividade desta hormona é reduzida. É um procedimento que tem ganho um número crescente de adeptos e pode ser complementado com outras técnicas em caso de necessidade.

A absorção dos nutrientes é feita fundamentalmente no intestino delgado e para ela contribuem a bílis e as secreções do estômago e do pâncreas, entre outras.

Nas técnicas malabsortivas os nutrientes são menos bem absorvidos porque se diminui o comprimento do intestino delgado que é percorrido pelos alimentos e/ou se desviam as secreções biliares e pancreáticas. Nesta técnica aqui esquematizada os alimentos só estão em contacto com estas secreções num pequeno trajeto de intestino delgado (o canal comum). A perda de peso é muito acentuada, mas podem surgir complicações metabólicas graves, de forma que estas intervenções estão indicadas apenas num número muito restrito de doentes.

Nesta técnica, “gastroplastia com bypass gástrico em Y-de-Roux” há uma restrição do volume de alimentos que é possível ingerir e a reconfiguração da anatomia, faz com que os alimentos não tenham contacto com a maior parte do estômago e com a parte inicial do intestino delgado, pelo que a absorção dos nutrientes é reduzida.

Acessoriamente sabemos que estas técnicas induzem uma alteração nas hormonas intestinais que regulam o balanço energético, facilitando a perda de peso.

Demonstrou-se em múltiplos estudos que o bypass é mais eficaz que a bandagem gástrica no que se refere a perda de peso e resolução das comorbilidades.